Acesso à pessoa usuária de drogas no contexto de uso. Atuamos principalmente na região da Luz, conhecida como “Cracolândia”, onde se concentram muitas pessoas usuárias de crack. A aproximação é fundamentada na ética do cuidado e acolhimento às diferenças, em que a escuta é fundamental.

A proposta é que, por meio do vínculo estabelecido com os usuários e as usuárias, possamos trabalhar a noção de autocuidado, além de pensarmos conjuntamente em estratégias de cuidado frente aos riscos e danos relacionados ao uso de diferentes substâncias. Temos como insumos de prevenção para o uso de crack a piteira de silicone e o protetor labial. Estes insumos foram desenvolvidos em parceria com os próprios usuários, e têm a proposta de incentivar o uso individual, evitando o compartilhamento dos cachimbos, que aumentam os riscos frente às DST/HIV/AIDS e Hepatites Virais. O protetor labial, por exemplo, protege e colabora na cicatrização de fissuras e queimaduras causadas pelo uso constante do cachimbo de alumínio, que pode ser protegido pelo uso das piteiras de silicone.

Além destes materiais terem funções concretas de prevenção, aproximam as pessoas usuárias da equipe de Redução de Danos, e apresenta a proposta do nosso trabalho: pensar formas de cuidado sem julgamentos morais.

No trabalho de campo, também convidamos os usuários e as usuárias a conhecerem o Centro de Convivência, onde podemos entender melhor suas demandas e proporcionar os encaminhamentos adequados.